quinta-feira, 4 de maio de 2017

Maio, o 2º

Quis o destino que - tal como no ano passado - eu tivesse um concerto marcado para o dia 2 de Maio.
Se em 2016 ver Muse no Pavilhão Atlântico se tornou no pior concerto da minha vida, ontem Placebo foi um dos melhores. Fantástico como as coisas mudam. Fantástico como o universo às vezes se completa e fecha ciclos de forma natural e sem grande esforço.

"Without you, I'm nothing"

20 anos de Placebo. Ainda nem tinha acabado o secundário quando eles surgiram e eu os comecei a acompanhar. 20 anos em que a minha vida mudou, definiu-se, estragou-se e voltou a ter sentido. E consegui sentir isso em vários momentos do concerto porque posso saber letras de cor e salteado mas quando são ouvidas no momento certo, no timing ideal ganham todo o sentido.

"We are loud like love!"

O concerto começou bem, depois teve uma parte (demasiado) melancólica (assumida pelo próprio Brian Molko) em que confesso me perdi e quase me desliguei, mas depois disto foi sempre a abrir até ao fim. Saltei, gritei, cantei e gastei certamente mais calorias do que num treino. Felizmente o caminho até ao carro foi uma espécie de descompressão.

"It's a song to say goodbye."

A minha favorita? No meio de muitas, escolho esta, a partir do minuto 3:45.
(O facto da letra falar em correr é pura coincidência, juro! E sim, estou ali de braços no ar no meio da molhada!)



Infra-Red
Placebo
One last thing before I shuffle off the planet
I will be the one to make you crawl
So I came down to wish you an unhappy birthday
Someone call the ambulance, there's gonna be an accident
I'm coming up on infra-red,
There is no running that can hide you
'cause I can see in the dark
I'm coming up on infra-red,
Forget your running, I will find you
One more thing before we start the final face off
I will be the one to watch you fall
So I came down to crash and burn your beggar's banquet
Someone call the ambulance there's gonna be an accident
I'm coming up on infra-red,
There is no running that can hide you
'cause I can see in the dark
I'm coming up on infra-red,
Forget your running, I will find you (find you!)
Someone call the ambulance
There's gonna be an accident!
I'm coming up on infra-red
There is no running that can hide you
'cause I can see in the dark
I'm coming up on infra-red
Forget your running, I will find you
'cause I can see in the dark
I'm coming up on infra-red
There is no running that can hide you
'cause I can see in the dark
I'm coming up on infra-red
Forget your running, I will find you
I'll find you
I'll find you

7 comentários:

  1. Eish! Foi o concerto da minha vida, Placebo no Coliseu em 2002! Porra, ainda me arrepio quando me lembro do inicio do concerto, com a Pure Morning. Uma das minhas bandas preferidas de sempre, mas fui perdendo o "contacto" com eles, . Tenho sempre medo destes concertos de bandas que numa altura me disseram muito e agora nem por isso. A pior experiencia que tenho foi com Smashing Pumpkins do Campo Pequeno, num concerto que até era para celebrar o Siamese Dream mas que teve ZERO de entusiasmo. E já curti TANTO em concertos de Smashing Pumpkins :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahah agora estava a reler, teve ZERO de entusiasmo, mesmo quando tocaram a ZERO! O que à partida pode parecer impossivel!

      Eliminar
    2. Percebo o que dizes, eu senti que há ali músicas com as quais já não me identifico tanto. Eles passaram o videoclip do Every You Every Me antes de entrarem em palco e abriram deis com a Pure Morning! :)
      Assim de repente, concerto da minha vida... Franz Ferdinand no Campo Pequeno ou Muse no Dragão. Na verdade, todos os de Muse excepto este do ano passado porque os astros não estavam alinhados.

      Adorei esse jogo de palavras com a ZERO. Confesso que nunca vi Smashing ao vivo, mas também devo ser um dos 3 ou 4 portugueses que também nunca viu Xutos ao vivo! :D

      Eliminar
    3. Sou um daqueles que se pode orgulhar de ter visto o primeiro concerto de Muse em Portugal! O pior é que foi sem querer ahah no auge da adolescencia, quando me alimentava de Nu Metal, foi à primeira edição do Festival do Ermal para ver Limp Bizkit e Deftones. E, acredites ou não, a primeira banda do dia era Muse!! Na altura adorei, depois fui ver o concerto deles de apresentação do Origin of Simmetry na Aula Magna e foi brutal.

      Eliminar
    4. O primeiro concerto de Muse em Portugal não é para todos! A primeira vez que os vi foi no Super Bock Super Rock em 2004, mas nem lhes liguei muito. O que eu queria mesmo era ver Linkin Park a seguir a eles. E Korn fecharam o dia.
      A primeira vez que os vi "a sério" foi na tour do Black Holes and Revelations, no Campo Pequeno em 2006. Não te querendo imitar... foi BRUTAL!!!

      Eliminar
  2. E eu gostei tanto dos MUSE no ano passado... estivemos lá os dois?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estivemos, mas eu apenas estive fisicamente...

      Eliminar