segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Queen + Adam Lambert

Venho dar-vos música! Porque no meio das corridas também tem havido uma forte componente musical a fazer parte da minha vida. E foi num momento de puro impulso que decidi que ia ver o concerto dos Queen + Adam Lambert em Junho.


Eu sei, eu sei, nunca será o mesmo sem o Freddy Mercury. O próprio Adam Lambert fez questão de dizer isso logo no início do concerto para esclarecer alguma dúvida que houvesse. "Can we, please, celebrate Queen and Freddy together?" rematou o Adam no final da sua apresentação para, logo de seguida, introduzir uma música em jeito de promessa: "Tonight, I'm gonna have myself a real good time."

Teve ele e tivemos todos nós! "Don't stop me now" era o que eu pensava e cantava de forma eufórica ao interiorizar que o concerto pelo qual tanto tinha ansiado já estava em andamento e já tinham passado pelos meus ouvidos músicas que eu tanto gosto como, por exemplo, o Seven Seas of Rhye ou o Play the Game (que letra tão simples e magistral)! E pouco me ralava ter entrado mesmo em cima da hora de início (há sempre alguém que chega atrasado) e nem sequer ter arranjado uma cadeira para me sentar. Fiquei em pé o tempo todo, mesmo na parte de trás do piso superior do recinto. A única prioridade era que a grávida do grupo tivesse lugar, mesmo que fosse nas escadas, como acabou por acontecer. E rapidamente fiquei com uma inveja tremenda do outro grupo de amigos que estava lá em baixo, mesmo junto ao palco, e que me confirmaram no fim do concerto que era lá que eu também devia ter estado.

No sítio onde estava tinha uma enorme vantagem: podia fazer vídeos à vontade sem incomodar ninguém que estivesse atrás de mim. Um assunto do qual falarei novamente quando comentar os dias do Alive. E fiz alguns, tentei tirar umas fotos, mas estava principalmente a absorver todo aquele ambiente épico. Sim, foi épico reviver todas aquelas músicas, com um Adam Lambert que conseguia sempre colocar o seu cunho pessoal pela forma extrovertida como se apresenta em palco, mas nunca sem pretender imitar o Freddy ou sem transformar o concerto num simples exercício de karaoke.

Quando o Brian May se colocou sozinho numa plataforma a meio do recinto, aconteceu o Love of my Life que contou com um convidado especial:



Podia falar aqui de todas as músicas, uma a uma, contando o que elas me fizeram sentir e as viagens que fiz através do que ia ouvindo, mas poupo-vos essa visita perturbadora à minha juventude. Em alternativa, deixo um vídeo do Who Wants to Live Forever:



E do Bohemian Rapsody, não há vídeo? Pois claro que não, essa foi cantada em plenos pulmões e a conter a lagriminha no canto do olho. Quando, já no encore, começou o We are the Champions percebemos que não havia volta a dar e era hora do sprint final.

O concerto acabou cedo demais. Como teria acabado cedo demais se lá tivéssemos ficado pela madrugada dentro. Eu ainda tentei atirar para o ar a ideia de haver um segundo concerto no dia seguinte, mas não era ali. The show must go on e eles rumaram a Espanha para continuar o resto da digressão e eu rumei a casa a lamentar apenas não ter ouvido o Friends Will be Friends. Teria sido o suficiente para a tal lagriminha se soltar e ter começado a suar pelos olhos, como diz uma certo e determinado companheiro disto dos blogs e das corridas.

Próximo relato de concertos: os três dias de NOS Alive.

domingo, 29 de julho de 2018

A pior coisa...

... de regressar de férias é saltar para a balança. Eu sei, podia não o fazer, mas faço. Acho que são mais uns 3kg em cima, algo que já comecei a combater com o treino longo que fiz esta manhã. O primeiro treino nas últimas 3 semanas (as várias jogatanas à bola durante as férias não contam como treino, ou contam?) e isso também explica os quilos a mais, portanto tudo controlado.

Entretanto descobri que um dos meus posts antigos foi destacado pela organização de uma prova. Como é que é aquilo dos objectivos de vida? Plantar uma árvore, escrever um livro blog e isto?

Agora que já li as actualizações dos blogs todos - menos um, que tenho que ler com calma - já posso pensar em contar novidades sobre mim: o Alive, as férias e eventualmente algumas outras coisas mais antigas como o concerto de Queen. Isto tudo ao mesmo tempo que preparo uma maratona, entre outras coisas. Siga!

sábado, 28 de julho de 2018

A melhor coisa...

... de regressar a casa é o momento em que uma pessoa se atira para cima da cama depois de descarregar as tralhas do carro! Nada tem a ver com a qualidade da cama em que se dormiu, mas a nossa cama é sempre a nossa cama!

Depois há outras preciosidades como olhar para um frigorífico praticamente vazio, mas ver na prateleira aquelas duas garrafas de Guiness que sobraram do lote que foi comprado mesmo antes das férias. E logo a seguir perceber que.... nenhuma delas está no frigorífico, caraças!

Ahhh, um mar de emoções, já viram?

Agora vou ali fazer uma longa ronda pelos vossos blogs e depois volto cá para contar mais coisas.

segunda-feira, 16 de julho de 2018

Férias

Já começaram e vão estender-se até perto do final do mês. Queria ter deixado um post diário com uma playlist para vos entreter durante estas semanas, mas como não consegui deixo apenas aqui a maior das surpresas que descobri nos 3 dias de NOS Alive. Até breve!




domingo, 8 de julho de 2018

Hello darkness, my old friend

Não há volta a dar. Às vezes a vida é uma treta e deixa-nos tristes, irritados, desmotivados e deixa-nos marcas que demoram a passar. No meu caso o que faço é fechar-me no meu casulo e isolar-me de tudo e de todos, incluindo daqueles que me querem bem e daquilo que me faz bem. É um traço de personalidade que nunca vai mudar - e acreditem que já tentei. Resolve os problemas? Nem por isso. Ajuda-me a ficar melhor? Não, mas é mais forte que eu.

Entretanto, num assunto completamente não relacionado com o parágrafo anterior, este semana há NOS Alive. O que era suposto ser só um bilhete para o dia 14 transformou-se num passe de três dias. Vamos a isso, já que este ano é muito mais musical que os anteriores. Ainda não vos falei da minha experiência no concerto de Queen e em Setembro também há Imagine Dragons. Umas das minhas bandas de eleição - os Snow Patrol - vai actuar já no dia 12. E para o ano estão no Campo Pequeno em Fevereiro em nome próprio. Não há fome que não dê em fartura! Como sei que têm álbum novo tenho andado a devorá-lo em loop, ajudado pela minha mania de tentar fazer tudo o que seja tarefas domésticas com música de fundo, sobretudo aquelas relacionadas com a cozinha: estender/apanhar roupa; tirar/meter a loiça na máquina; etc.

O álbum começa assim:


"Life on Earth"
Snow Patrol
 
(...)
"It shouldn't need to be so fucking hard
This is life on earth
It's just life on earth
It doesn't need to be the end of you, or me
This is life on earth
It's just life on earth"


(...)

E continua assim:



"Don't Give In"
Snow Patrol
 
(...)
"Don't give in
Don't you dare quit so easy
Give all that you got on the soul"

(...)

Porra, que esta malta voltou em grande estilo! E inspirado pelas letras destas músicas - e do resto do álbum - hoje de manhã fiz-me à estrada e fui correr! Um treino em ritmo de Maratona e com muito calor, mas aquele calorzinho bom que eu gosto tanto de apanhar!


Em breve falo de outra banda pela qual me apaixonei novamente nos últimos dias e que também tem estado em loop sucessivo na minha playlist caseira. E são portugueses, já agora!

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Haja pernas!

O plano de festas para a segunda metade do ano é mais ou menos assim:









E como ainda há fins de semana livres, há espaço para:
- um possível trail em Setembro. Sim, uma cena dessas!
- mais duas Meias Maratonas em Outubro, sempre para serem feitas em ritmo de treino longo.
- o Grande Prémio de Natal em Dezembro, se ainda tiver coragem...
- uma prova "mistério" onde só vou decidir se me inscrevo depois de saber a data.
- a São Silvestre de Lisboa, pelo convívio e para fazer um trocadilho espectacular!

Peço-vos... Se me virem cair para o lado, parem o meu relógio e façam upload no Strava, ok?
Obrigadinho!

terça-feira, 3 de julho de 2018

Sabotagem!!!

Hoje é dia de treino da equipa, mas não vou treinar. Como tenho tempo livre pensei em compensar isso com uma caminhada do trabalho até à estação. Abro o Google Maps e começo a ver qual dos caminhos fazer:

- cerca de 2,5km até Sete Rios
- cerca de 3,5km até Entrecampos
- cerca de 4,5km até Roma-Areeiro
- cerca de 5km até Santa-Apolónia

...
...
...
...

Recebo um SMS. "Vou passar por aí, dou-te boleia quando saíres do trabalho."

Sabotagem, sabotagem!!!